Perfil dos pescadores e comercialização de peixes durante a pandemia em Portel, Marajó, Brasil

Marcela Palheta de Oliveira, Julia Siqueira Moreau, Manoel Luciano Aviz de Quadros, Fabricio Nilo Lima da Silva, Raoani Cruz Mendonça

Resumo


O objetivo foi analisar o perfil dos pescadores e a comercialização de peixes durante a pandemia (Covid-19) em Portel, Marajó, Brasil. A pesquisa foi de caráter quanti-qualitativa, realizada com 18 pescadores artesanais. Foi utilizado um questionário contendo perguntas abertas e fechadas, abordando questões socioeconômicas e os possíveis efeitos negativos da pandemia na comercialização. Os dados coletados foram analisados pela estatística descritiva. Todos os pescadores são homens, com idade superior a 25 anos. A maioria (83,3%) desenvolvem a pesca há mais de 10 anos e possui mais de 4 pessoas na família (72,2%). Um total de 83,3% faz parte de alguma organização social, pesqueira, e 88,9% são beneficiários de algum programa do governo federal. Pouco mais da metade dos informantes (55,5%), conseguiram desenvolver as atividades de pesca durante a pandemia e não dispensaram nenhuma hora de trabalho, havendo um reajuste nos preços da maior parte do pescado (79%). A produção é destinada somente a comercialização direta ao consumidor e que houve um aumento na procura do pescado (66,6%). Mais da metade (61,1%) tiveram um aumento na renda familiar, apesar de enfrentarem dificuldades para desenvolver a pesca. A maioria (83,3%) não acredita que receberá algum auxílio, por parte do governo. Em conclusão, foi possível conhecer o perfil dos pecadores artesanais e as consequências da pandemia que foram positivas para a maioria. A Covid-19, afetou a classe dos pescadores, seja na sua vida cotidiana, nas atividades pesqueiras, na comercialização dos peixes ou na renda, obtida através dela ou de programas do governo federal.

 

 


Palavras-chave


Crise, Impacto, Recursos Pesqueiros, Diagnóstico.

Referências


ALVES DA SILVA, M.E.P.; CASTRO, P.M.G.; MARUYAMA, L.S.; PAIVA, P. Levantamento da pesca e perfil socioeconômico dos pescadores artesanais profissionais no reservatório Billings. Boletim do Instituto de Pesca, 35(4): 531-543, 2009.

AMARAL, D.D.; MANTELLI L.R.; ROSSETTI, D.F. Paleoenvironmental control on modern forest composition of southwestern Marajo Island, Eastern Amazonia. Water and Environment Journal, 26: 70-84, 2012.

AMANAJÁS, V.V.V. Pesca e perfil socioeconomico dos pescadores artesanais da fronteira setentrional do brasil: a comunidade pesqueira de oiapoque, Amapá. Confins, 37, 2018.

AMUT. Associação dos Municípios das Rodovias Transamazônica, Santarém-Cuiabá e Região Oeste do Pará. 2021. Municípios. Disponível em: http://www.amut.org.br/municipios/portel/. Acesso em: 05.01.2022.

CANAFÍSTULA, F.P.; CINTRA, I.H.A.; SILVA, K.C.A.; ARAGÃO, J.A.N.; SANTOS, M.A.S. Organização social profissional dos pescadores artesanais da foz do rio Amazonas, Amapá, Brasil. Guaju, 6(2): 1-16, 2020.

CARVALHO, M.A.M.; COSTA, R.B.; SILVA, L.A.; OLIVEIRA, C.G.; MIRANDA, L.A.M.; MARTINS, L.P.; SALES, R.O.; FARIAS, J.O.; Crescimento do curimatã comum, Prochilodus cearaensis (Steindachner,1911) em sistema de recirculação de água (SRA) em três densidades de estocagem diferentes, Revista Brasileira de Higiene e Sanidade Animal (v.14, n.1) p. 1–18 jan–mar (2020). http://dx.doi.org/10.5935/1981-2965.20200001.

CAVALCANTI, J.A.S.; WANDERLEY, B.E.B. Os pescadores e pescadoras artesanais em tempos de covid-19. Revista Pegada, 21(2): 493-510, 2020.

CONCEIÇÃO, L.C.A.; MARTINS, C.M.; SANTOS, M.A.S.; ARAÚJO, J.G.; MONTEIRO, E.P. A pesca artesanal e a sucessão geracional no município de Maracanã, estado do Pará, Brasil. Guaju, 6(1): 70-85, 2020.

COSTA, R.B.; FARIAS, J.O.; CARVALHO, M.A.M.; SALES, R.O.; SILVA, L.A.; OLIVEIRA, C.G.; MIRANDA, L.A.M.; FERREIRA, Q.M.; Crescimento do curimatã comum em um sistema de recirculação de água. Revista Brasileira de Higiene e Sanidade Animal (v.13, n.1) p. 68–77. Jan -mar (2019). http://dx.doi.org/10.5935/1981-2965.20190004.

FAO. Organização para a Alimentação e Agricultura, How is COVID-19 affecting the fisheries and aquaculture food systems, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.4060/ca8637en. Acesso em: 05.01.2022.

FURLAN, E.F.; VEGA, S.M.R.; VIEGAS, I.F.P.; SILVA, A.O.Á. Impactos da pandemia de covid-19 na atividade pesqueira do litoral do Estado de São Paulo. Análises e Indicadores do Agronegócio, 15(8): 1-7, 2020.

GIL, A.C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GOUVEIA, N.A.; LIMA, F.A.; SOUSA, M.C.; SANTOS M.A.S. O seguro defeso do pescador artesanal: evolução dos recursos e beneficiários no estado do Pará. Revista do Centro de Ciências Naturais e Exatas – UFSM, 14(2): 75-85, 2015.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Estimativas da população residente no brasil e unidades da federação com data de referência em 1º de julho de 2019. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pa/portel/panorama. Acesso em: 05.01.2022.

KÖCHE, J.C. Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e iniciação à pesquisa. Petrópolis, RJ: Vozes, 1-185, 2011.

LIMA, A.C.C.; CALLOU, A.B.F. Políticas Públicas e Assistência Técnica Para Pesca Artesanal em Pernambuco. Editora Unijuí, 95, 93-116, 2015.

MONTAG, L.F.A.; FREITAS, T.M.S.; WOSIACKI, W.B.; BARTHEM, R.B. Os peixes da Floresta Nacional de Caxiuanã (municípios de Melgaço e Portel, Pará - Brasil). Boletim Museu do Pará. Emílio Goeldi, 3(1): 11-34, 2008.

NATIVIDADE, L.N.; SILVA, J.V.N.; NASCIMENTO, W.L.N. Caracterização socioeconômica dos pescadores artesanais da comunidade do Curuperé, em Curuçá, Amazônia paraense. Anais... In: IV Congresso Internacional das Ciências Agrárias, 2019. Disponível em: https://cointer.institutoidv.org/inscricao/pdvagro/uploadsanais2020/caracteriza%c3%87%c3%83o-socioecon%c3%94mica-dos-pescadores-artesanais-da-comunidade-do-curuper%c3%89,-em-curu%c3%87%c3%81,-amaz%c3%94nia-paraense..pdf Acesso em: 05.01.2022.

NOGUEIRA, L.S.M.; SOUZA, D.M.; BRÍGIDA, A.M. B.S. Segurança e saúde dos pescadores artesanais no estado do Pará. São Paulo: Fundacentro, p. 87, 2017.

NUNES, G.C.; NASCIMENTO, M.C.D.; ALENCAR, M.A.C. Pesquisa científica: conceitos básicos. Revista. Multidisciplinar e de Psicologia, 29: 144-151, 2016.

OLIVEIRA, A.L.T; SALES, R.O; FREITAS, J.B.S.; LOPES, J.E. Alternativa sustentável para descarte de resíduos de pescado em Fortaleza. Revista Brasileira de Higiene e Sanidade Animal, v. 6, n. 2, p. 97 - 119, 2012. http://dx.doi.org/10.5935/1981-2965.20120003.

OLIVEIRA, T.R.A.; COSTA, J.J.; ALMEIDA, G.L. Pesca artesanal, políticas públicas e a pandemia de COVID-19: desafios para as comunidades costeiras de Sergipe. Brazilian Journal of Development, 7(2): 15952-15970, 2021.

PORTEL (PA). Prefeitura. (2021). Disponível em: https://portel.pa.gov.br/o-municipio/historia/. Acesso em: 05.01.2022.

PLATAFORMA FISHBASE. Disponível em: https://fishbase.mnhn.fr/search.php. Acesso em: 05.01.2022.

RAINHA, F.A. A pesca artesanal brasileira: uma análise da produção pesqueira em diferentes escalas. Anais... In: VII Congresso Brasileiro de Geógrafos, Vitória-ES, 1-12, 2014. Disponível em: http://www.cbg2014.agb.org.br/resources/anais/1/1404070439_ARQUIVO_Trabalho Completo-Felippe Andrade Rainha.pdf Acesso em: 05.01.2022.

RAMIRES, M.; LUZET, M.; ROTUNDO, M.M.; BEGOSSI, A. A pesca e os pescadores artesanais de Ilhabela (SP), Brasil. Boletim do Instituto de Pesca, 38(3): 231-246, 2012.

REIS-FILHO, J.A.; QUINTO, D. (2020). COVID-19, Afastamento social, Pesca artesanal e Segurança alimentar: Como esses temas estão relacionados e quão importante é a soberania dos trabalhadores da pesca diante do cenário distópico. Salvador, BA, 2020. Disponível em: https://preprints.scielo.org/index.php/scielo/preprint/view/54/64 Acesso em: 05.01.2022.

SANTOS, M.A.S. A cadeia produtiva da pesca artesanal no estado do Pará: estudo de caso no nordeste paraense. Amazônia: Ciência & Desenvolvimento, 1(1): 1-20, 2005.

SANTOS, G.M.; SANTOS, A.C.M. Sustentabilidade da pesca na Amazônia. Estudos avançados, 19 (54): 165-182, 2005.

SANTOS, R.F.; MONTEIRO, E.P.; NASCIMENTO, J.C.S.; SANTOS, W.J.P. A pesca artesanal no nordeste paraense, município de Viseu – Pará. Acta Fish, 6 (1): 35-43, 2018.

SANTOS, S.J.A.; ESTRELA, J.W.M.; CAMPOS, C.L. Indicadores sociais e econômico dos pescadores artesanais da comunidade várzea grande, região semiárida da paraíba. Anais... I Congresso Internacional de Ciências agrárias – COINTER, 8p, 2016. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/326630446_INDICADORES_SOCIAIS_E_ECONOMICO_DOS_PESCADORES_ARTESANAIS_DA_COMUNIDADE_VARZEA_GRANDE_REGIAO_SEMIARIDA_DA_PARAIBA Acesso em: 05.01.2022.

SILVA, J.P.P. Socioeconomia e associativismo de agroextrativistas no arquipélago do Marajó, Amazônia, Brasil. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Agroextrativismo Sustentável e Desenvolvimento Rural) - IFPA, Campus Breves, 94f, 2020.

SILVA, E.F.; OLIVEIRA, J.E.L.; JUNIOR, E.L. Características socioeconômicas e culturais de comunidades litorâneas brasileiras: um estudo de caso - Tibau do Sul – RN. Boletim Técnico Científico. CEPENE, 19(1): 69-81, 2013.

SILVA, N.R.; AZEVEDO, A.; FERREIRA, M.I.P. Perfil socioeconômico e ambiental da pesca artesanal de Macaé/RJ. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego, 10(1): 73-98, 2016.

SILVA, F.R.; SOARES, T.P.; QUADROS, M.L.A.; MOREAU, J.S.; CASTRO, N.M.S.; OLIVEIRA, L.C.; MENDONCA, R.C.; SILVA, F.N.L. Socioeconomia dos pescadores do Macrobrachium amazonicum em Breves, arquipélago do Marajó, Brasil. Revista Brasileira de Higiene e Sanidade Animal, v. 14, n.4. p. 1-12, 2020. http://dx.doi.org/10.5935/1981-2965.20200051

SOARES, K.M.P.; GONÇALVES, A.A. Qualidade e segurança do pescado. Revista Instituto Adolfo Lutz, 71(1): 1-10, 2012.

SOUZA, I.V.; SILVA, T. A. (2018). Levantamento socioeconômico dos pescadores da comunidade do Angari. Acta Scientiarum. Human and Social Sciences, 40(3): 1-10, 2018.

TORRES, R.B.; GIANNELLA, L.C. A vulnerabilidade dos pescadores artesanais brasileiros: uma análise sociodemográfica. Revista Geonorte, 11(38): 162-185, 2020.

ZACARDI, D.M.; SARAIVA, M.L.; VAZ, E.M. Caracterização da pesca artesanal praticada nos lagos Mapiri e Papucu às margens do rio Tapajós, Santarém, Pará. Revista Brasileira de Engenharia de Pesca, 10(1): 31-43, 2017.

ZAR, J.H. Biobstatistical Analysis. 4th Edition, Prentice Hall, Upper Saddle River, 1999.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Counters
Visitas