Avaliação da técnica de inseminação artificial entre dois inseminadores no estado do Mato Grosso do Sul

Ailton Maziero Soethe, Antônio Francisco Chaves Neto, Camila Bizarro da Silva, Luiz Carlos Negri Filho, Dalton Evert Bronkhorst, Marcelo Diniz dos Santos, Alexey Leon Gomel Bogado, Celso Koetz Junior, Flavio Guiselli Lopes, Werner Okano

Resumo


O uso da inseminação artificial (IA) em bovinos determina maior eficiência em programas de melhoramento genético e aumento dos ganhos na produção animal. Sob esse aspecto, o inseminador tem um papel relevante, onde sua destreza na condução da técnica de IA poderá influenciar nos resultados. O presente estudo teve por objetivo avaliar a técnica de inseminação artificial entre dois inseminadores. O experimento foi conduzido em uma propriedade localizada no município de Pedro Gomes, Estado do Mato Grosso do Sul. A técnica dos inseminadores (A e B) foi avaliada em um rebanho de 206 fêmeas bovinas aptas a reprodução, sendo utilizado o método Trimberger para a IA, por um período de 38 dias. O sêmen utilizado foi avaliado por exame andrológico antes da estação de monta. Todos os procedimentos referentes ao manejo dos animais e técnica da IA que antecede a inseminação foram padronizados. O diagnóstico de gestação foi realizado por palpação transretal 60 dias após a inseminação do último animal. Houve diferença estatisticamente significante entre os inseminadores, (p= 0,0017), sendo que o inseminador A obteve maior sucesso após a realização de 172 procedimentos de IA com resultados de 146 (84,9%) vacas prenhes, enquanto, o inseminador B realizou 34 inseminações e obteve 21 (61,8%) vacas prenhes. O inseminador A apresenta 3,47 vezes mais chances de obter êxito na técnica de inseminação que o inseminador B. Concluí-se que houve melhor aproveitamento da técnica de inseminação artificial pelo inseminador A, obtendo a maior taxa de concepção em relação ao inseminador B.


Palavras-chave


taxa de gestação; animal vazio; bovino de corte; inseminação artificial.

Referências


ANUALPEC. Anuário da Pecuária Brasíleira. São Paulo: AgraFNP, 2012.

ASBIA. Associação Brasileira de Inseminação Artificial. Relatório estatístico de produção, importação e comercialização de sêmen, 2012 Disponível em: acesso em: 19 abr. 2014.

ASBIA. Relatório estatístico de produção, importação e comercialização de sêmen, 2008. Disponível em Acesso em

mar. 2014.

ASBIA. Associação Brasileira de Inseminação Artificial, 2003. Disponível em: . Acesso em: 15 abr. 2014.

CHUPIN, D.; THIBIER, M. Levantamento da situação atual do uso da inseminação artificial em países desenvolvidos. Animal Mundial Review, v. 82, p. 58-68, 1995.

CUNNINGHAM, E.P. O potencial das novas tecnologias genéticas de reprodução. Acta Agriculturae Scandinavica, Section. A. Supl., v. 29, p. 67-76, 1998.

CUTAIA, L.; BÓ, G.A. Implementacion de programas de inseminación artificial em rodeos de cria de Argentina. In: II Jornada Técnica em Sistemas de Produção de Bovinos de Corte e Cadeia Produtiva: Conjunturas, Tecnologias, Comercialização e Mercado. Porto Alegre: UFRGS, p. 37- 72, 2007.

DINIZ, O. Inseminação artificial. Pardo-suíço em Revista, maio/jun. 1996. Disponível em: . Acesso em: 15 abr. 2015.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produção da pecuária. Disponível em: acesso em: 15/09/2014.

MINOSSO, L.A.; SANTOS, M.D.; TOMA, H.S.; TOMA, C.D.M.; COSTA, D.S.; FIALKOSKI JUNIOR, D.A.; LOPES, F.G. Manejo diário como ferramenta para incrementar a taxa de prenhes de vacas Nelore. Revista Brasileira de Higiene e Sanidade Animal, v. 8, n. 2, p. 39-51, 2014.

MIZUTA, K. Estudo comparativo dos aspectos comportamentais do estro e dos teores plasmáticos de LH, FSH, Progesterona e Estradiol que precedem a ovulação em fêmeas bovinas Nelore (Bos taurus indicus), Angus (Bos taurus taurus) e Nelore x Angus (Bos taurus indicus x Bos taurus taurus). 2003. 98 f. Tese (Doutorado em Reprodução Animal) – Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

NEVES J.P.; MIRANDA K.L.; TORTORELLA, R.D. Progresso Científico em reprodução na primeira década do século XXI. Rev. Bras. Zoot., v. 39. 2010, p. 414-418.

OLDS, D.; SEATH, D.M. Factors affectin reproductive efficiency in dairy cattle. Kentucky Agriculture Experiment Station Bulletin, Lexington, p. 605, 1954.

SÁ FILHO, M. F.; GUIMENES, L. U.; SALES, J. N. S.; CREPALDI, G. A.; MEDALHA, A. G.; BARUSELLI, P. S. IATF em novilha. Simpósio Internacional De Reprodução Animal Aplicada. 3, 2008. Londrina. Anais... Londrina, p. 54-67, 2008.

SENGER, P.L.; HILLERS, J.K.; MITCBELL, J.R.; FLEMING, W.N.; DARLINGTON, R.L. Research summary of factors affecting conception to first service in dairy cows. Part I – Bulls inseminators and semen quality. Proceedings of the Annual Meeting Society of Therionelogy, Washington, p. 126-134, 1981.

VANZIN, I.M. Manual de Inseminação Artificial Pecplan Bradesco, “on line” 2002 Disponível em: . Acesso em: 15 abr. 2014.

VENDRUSCOLO, M.; KOZICKI, L.E.; SEGUI, M.S.; WEISS, R.R.; SANTOS, I.V. Relação entre a duração do ato da inseminação artificial em bovinos e a fertilidade. Archives of Veterinary Science, v.10, p.81-88, 2005.

VISHWANATH, R. Artificial insemination: the state of the art. Theriogenology, v. 59, p. 571-584, 2003.

WILDMAN, E.E. et al. Dairy cow body condition scoring system and its relationship to selected production characteristics. Journal Dairy Science, v. 65, n. 3, p. 495-501, 1982.

WILTBANK, M.C. Uso eficaz de hormônios de reprodução: II programas de reprodução. In: NOVOS ENFOQUES NA PRODUÇÃO E REPRODUÇÃO DE BOVINOS, 2000, Passos de Minas. Anais... Passos de Minas, p.71-85, 2000.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Counters
Visitas