Avaliação parasitológica de alfaces (Lactuca sativa) comercializadas no município de Umuarama, Paraná, Brasil

Márcia de Oliveira Ramos, Ivan Lazzarim Begotti, Gilneia da Rosa, Gustavo Felipe Panazzo Vieira, Valdecir Messa, Luiz Sérgio Merlini

Resumo


As hortaliças especialmente as ingeridas cruas, como a alface, são de grande importância para a saúde pública, pois são amplamente consumidas pela população, e podem conter diferentes formas evolutivas de parasitos, servindo como importante via de transmissão de enteroparasitoses. O objetivo deste estudo foi avaliar a possível presença de enteroparasitas em alfaces (Lactuca Sativa) comercializadas no município de Umuarama/PR. Foram estudadas 42 amostras de alface oriundas de seis feiras livres de produtores rurais do município, sendo sete amostras de cada feira. As hortaliças foram analisadas no Laboratório de Medicina Veterinária Preventiva da UNIPAR, onde se utilizou o método de sedimentação espontânea de Hoffman. Das 42 amostras analisadas, três (7,5%) estavam contaminadas por enteroparasitas tendo sido encontrados cistos de Entamoeba coli e Endolimax nana e larvas de Strongyloides sp.

 


Palavras-chave


alface; enteroparasitoses; hortaliças

Referências


ABNOR GONDIM (Ed.). Alface. Catálogo Brasileiro de Hortaliças, Brasília, p.13-13, 2010. Disponível em: . Acesso em: 03 jan. 2014.

AVCIOGLU, H. et al. Control of Helminth Contamination of Raw Vegetables. Vector Borne Zoonotic Diseases. Larchmont, v.11, n.2, p.189- 191, 2011.

ALVES, A.S. et al. Parasitos em alface-crespa (Lactuca sativa L.), de plantio convencional, comercializada em supermercados de Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. Revista de patologia tropical. v. 42 (2): 217-229. abr.-jun. 2013.

BRASIL, ANVISA. Agência Nacional da Vigilância Sanitária. Resolução – CNNPA nº 12, de 1978. Diário Oficial da União de 24/07/1978. Disponível em:. acesso: 20 set 2013.

COELHO W.M.D. et al. Ocorrência de parasitos gastrintestinais em amostras fecais de felinos no município de Andradina, São Paulo. Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária. 18(2): 46-49, 2009..

COSTANTIN, B.S. et al. O. Avaliação da contaminação parasitológica em alfaces: um estudo no sul do Brasil. Revista Fasem Ciências. v. 3, n. 1, jan.-jun./2013

FALAVIGNA L.M. et al. Qualidade de hortaliças comercializadas no noroeste do Paraná, Brasil. Parasitologia Latinoamericana, 60: 144-149, 2005.

FARIAS G.F. et al.. Freqüência de enteroparasitos em amostras de alfaces (Lactuca sativa) comercializadas em feiras livres na cidade de Ipatinga, Minas Gerais. Revista Digital de Nutrição. 2(2), 2009.

FERRO J.J.B. et al. Avaliação parasitológica de alfaces (Lactuca sativa) comercializadas no município de Tangará da Serra, Mato Grosso, Brasil. Revista de Patologia Tropical. 41(1): 47-54. 2012.

FREITAS A.A. et al. Avaliação parasitológica de alfaces (Lactuva sativa) comercializadas em feiras livres e supermercados do município de Campo Mourão, Estado do Paraná. Acta Scientiarum Biological Sciences. Ed.26 p.381-384, 2004.

GUIMARÃES A.M. et. Frequência de enteroparasitas em amostras de alface (Lactuca sativa) comercializada em Lavras, Minas Gerais. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. 36: 621-623, 2003.

HOFFMAN, W.A. et al. Sedimentation concentration method in schistosomiasis mansoni. Porto Rico Journal of Public Health Tropical and Medicine, San Juan, v. 9, n. , p. 283-298, 1934.

MELO, A.C.F.L. et al. Contaminação parasitária de alfaces e sua relação com enteroparasitoses em manipuladores de alimentos. Revista Tropical Ciência e Agrária e Biológicas, Maranhão, v.5, n.3, p. 47, 2011. 2011.

NERES, C. A. et al. Enteroparasitos em amostras de alface (Lactuca sativa var. crespa), no Município de Anápolis, Goiás, Brasil. Bioscience Journal.Uberlândia, v.27, n.2, p. 336 -341, mar./abr. 2011.

SANTARÉM V.A. at l. contaminação de hortaliças por endoparasitas e salmonella spp. em Presidente Prudente, São Paulo, Brasil. Colloquium Agrariae, v. 8, n.1 Jan-Jun. 2012, p. 18-25. 2012.

SARAIVA N. et al. Incidência da contaminação parasitária em alfaces nos municípios de Araraquara (SP) e São Carlos (SP). Revista Uniara. Ed.16, p. 213-218, 2005.

SANTOS, N.M. et al. Avaliação parasitológica de hortaliças comercializadas em supermercados e feiras livres no município de Salvador/Ba, Revista de Ciência Médica e Biológica, Bahia, v. 8, n.2, p.146- 152, 2009.

SILVA C.G.M. et al. Ocorrência de Cryptosporidium spp e outros parasitas em hortaliças consumidas in natura no Recife. Revista Ciência Saúde Coletiva. 10: 63-69, 2005.

SOARES B. et al. Qualidade parasitológica e condições higiênico-sanitárias de hortaliças comercializadas na cidade de Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia. 8: 377-384, 2005.

TAKAYANAGUI O.M. et al. Análise da produção de verduras em Ribeirão Preto, SP. Revista Sociedade Brasileira Medicina Tropical. 39: 224-226, 2006.

VIEIRA, J.V. at al. Parasitos em hortaliças comercializadas no sul do Rio Grande do Sul, Brasil. Revista Ciência Médica e Biológica, Salvador, v.12, n.1, p.45-49, jan./abr. 2013.

Recebido: 25 de agosto de 2014

Aprovado:


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

 

Counters
Visitas